A Máquina do Tempo
by Bill Continelli, W2XOY
Tradução de : David Ferrão Lopes PY6FB para a LABRE-BA
Eu começo esta coluna na tentativa de responder a três grandes questões: "Quando o Radioamadorismo começou?"; "Quem foi o primeiro radioamador?"; e "De onde veio a palavra ‘ham’?". Para responder a estas questões voltamos 100 anos atrás.

As "comunicações sem fio" tiveram o seu início em 1896, quando Marconi pela primeira* vez enviou um sinal a uma distancia de 2 milhas. Em 1899, ele teve sucesso enviando uma mensagem por "comunicação sem fio" através do Canal da Mancha, numa distancia de 32 milhas. O ano de 1899 também marca o primeiro projeto de construção, na revista "American Electrician". Em Dezembro de 1901, Marconi fez a primeira "comunicação sem fio" atravessando o Atlântico, um feito que chamou a atenção do mundo e alimentou a imaginação de milhares de potenciais radioamadores, que davam os primeiros passos nas comunicações sem fios.

De início, tudo era "faísca". O que era exatamente faísca? Bem, escute numa noite de verão o seu rádio de AM ou SW e conte os ruídos de estática. Agora ligue o seu aspirador de pó, ou o barbeador elétrico, e escute o seu rádio novamente. Escuta aquele ruído? Em resumo a comunicação por faísca era meramente uma maneira de "faísca controlada". Uma alta voltagem dentro de uma bobina saltava uma faísca entre separadores, a qual era acoplada à uma antena. A faísca era chaveada ON e OFF para transmitir o código. O sinal gerado ocupava uma grande faixa . O melhor transmissor de faísca em 1906 operando em 400 metros (750kHz) gerava um sinal que ocupava uma faixa entre 250metros (1200kHz) e 550 metros (545 kHz). Os receptores não eram melhores. Antes de 1912, todos os sistemas eram basicamente detetores sem amplificação. Sintonizadores eram primitivos ou não existiam. Como se poderia esperar, pelos padrões de hoje, as primeira estações de "comunicação sem fio" eram extremamente ineficientes. O alcance das transmissões variavam de 600 pés com uma bobina de ½ polegada até 100 milhas com uma estação de 1 Kilowatt com uma bobina de faísca de 15 polegadas. Os navios com transmissores de 5 KW poderiam alcançar no máximo 500 milhas.

Foi neste mundo de comunicações que os primeiros radioamadores se aventuraram. Atualmente, se nos concentrarmos nos anos antes de 1908, seria mais apropriado falar em "experimentadores” do que em "radioamadores". Durante a primeira década da comunicação sem fio, havia pouco interesse em comunicações pessoais com outras estações; mais propriamente, a concentração era no desenvolvimento técnico, tanto no interesse da ciência pura, ou (mais vezes que o contrário) com os olhos postos no dinheiro neste meio de comunicação. Experimentadores não eram organizados e, com a exceção daqueles com estações próximas com quem faziam os seus testes, não tinham conhecimento ou interesse nas outras estações pioneiras. Qualquer "radioamador" antes de 1908 perdeu-se na obscuridade da pré-história.

Em 1908, no entanto, a face das comunicações sem fio começou a mudar. Desenvolvimentos técnicos alcançavam a sua primeira fase, e um numero dos maiores concorrentes formava o primeiro "monopólio das comunicações sem fios" a United Wireless. Com uma temporária trégua, os equipamentos não estavam mais ao alcance do publico. Ao mesmo tempo, novas revistas, tal como "Modern Electrics," formavam como as comunicações sem fio os primeiros monopólios. A circulação da "Modern Electrics" saltou de 2.000 para mais de 30.000 em apenas dois anos. No ano de 1908 também apareceu o primeiro "handbook", o "Wireless Telegragh Construction para Radioamadores. "É difícil saber exatamente quantas estações trabalhavam sem qualquer regulamentação nesta época, mas as estimativas dizem que as "maiores" estações (i.e. aquelas capazes de comunicar acima de 10 milhas) eram cerca de 600, enquanto as "menores" estações que conseguiam alcançar uma ou duas milhas eram provavelmente uma 3.000 ou mais. Assim, se um ano tiver que ser escolhido arbitrariamente como o começo do Radioamadorismo, será provavelmente o ano de 1908.

Para saber quem foi o primeiro radioamador, é um trabalho árduo. Sem licenciamento, regulamentação, ou registros, nunca haverá uma definitiva resposta para responder a essa questão. No entanto, "A Máquina do Tempo" apresentou o nome de W.E.D. Stokes Jr. Ele foi um membro fundador e seu primeiro Presidente do primeiro clube de radioamadores – O Junior Wireless Club Limited, da cidade de Nova York. Esta organização foi formada em 2 de Janeiro de 1909. Outros membros fundadores que podem reclamar pelo titulo de "primeiro radioamador" foram George Eltz, Frank King, e Fred Seymour. Mais tarde no mesmo ano, a Wireless Association of America, e o Radio Club of Salt Lake City foram criados.

No ano de 1910. Os clubes de comunicação sem fio espalharam-se por todo o país, e o primeiro "callbook" "The Wireless Blue Book" foi publicado. Como nesse período não havia qualquer regulamentação, os indicativos de chamada listados no "Blue Book" eram escolhidos pelo próprio operador, o qual nos conduz há terceira questão - de onde veio a palavra "ham"? Havia uma estação fenomenal com um transmissor de 5KW , a qual poderia ser escutada a todas as horas do dia e noite em distâncias superiores a 500 milhas. O operador da estação usava as suas iniciais – HAM. Eu não sei se isto é a verdadeira estória, mas eu sempre gostei desta explicação.

O Radioamadorismo continuou crescendo. No ano de 1911, "Modern Electrics" tinha uma circulação de 52.000, e havia 10.000 radioamadores no país. Com milhares de estações transmitindo, radioamadores e comerciais, interferências tornaram-se um problema sério, especialmente nas comunicações marítimas. Os navios, devido ao comprimento restrito das suas antenas, estavam limitados ás freqüências entre 450 e 600 metros (666 a 500kHz). Como vimos, uma estação de faísca poderia ocupar todo este "spectrum". Assim, era imperativo que todas as estações cooperassem e ficassem em "stand by" enquanto as outras estavam transmitindo. Infelizmente, muitas vezes este não era o caso. A somar a isto havia as interferências entre as estações de radioamadores e as estações comerciais e algumas vezes entre as próprias estações comerciais de diferentes companhias. Estimulado pela Marinha (a qual usava ineficientes e antigos equipamentos e assim sofrendo de excessiva interferência), o Congresso começava a preparar regulamentação para as comunicações sem fios, um incidente aconteceu que rapidamente e dramaticamente alterou o "spectrum” das comunicações sem fio.

Em 15 de Abril de 1912, o R.M.S. Titanic bateu num "iceberg" no Atlântico Norte e afundou. Graças às comunicações via rádio, e ao primeiro SOS da história, 713 vidas foram salvas. No entanto foi argumentado que o número de sobreviventes poderia ter sido maior, se já estivesse aprovada uma forte regulamentação nas comunicações sem fios.

* Nota: O Padre Landell de Moura fazia as suas primeiras experiencias em 1893 dois anos antes das de Marconi.